27/02/2015 às 13h49min - Atualizada em 22/05/2015 às 14h56min

Contra o PT e ‘conivência’, faixas são colocadas em frente ao diretório do PMDB

Mídia Max

Manifestantes colocaram faixas em frente ao diretório municipal e estadual do PMDB em Campo Grande, na noite desta quinta-feira (26), na Avenida Mato Grosso. O ato é pelo fato do partido ser aliado ao PT, que atualmente passa por uma das piores fases de rejeição nacional, principalmente por conta de escândalos de corrupção e aumento de impostos.

“PMDB, ouça seus eleitores! Trabalhe pelo Brasil”, “PMDB até quando serás prostituta  da política?”, “O PMDB está sendo covarde, tirem a Dilma e o PT”, “O PMDB vai morrer junto com o PT”, “PMDB honre seu passado, não seja cúmplice de um governo corrompido”, "O PMDB continua com o PT? Não vote em ninguém que comece com 15 anos que vem”, “PT competência ou conivência?”, “PMDB: Seja a base aliada do Brasil”, são as frase de algumas das faixas.

Ainda de acordo com os manifestantes, o protesto após o pronunciamento do PMDB em rede nacional, é por conta do discurso de conivência do partido. O vice-presidente Michel Temer, ministros do partido, presidente do Senado, Renan Calheiros e da Câmara Eduardo Cunha discursaram em rede nacional na noite desta quinta-feira (26).

“Esperávamos o rompimento com o PT e não um discurso de conivência”, diz a professora Karina Maia de 36 anos. “Queremos o impeachment da presidente Dilma, diminuição da carga de tributos, regalias de políticos e que o PMDB deixe a base aliada para apoiar o povo”, conta o funcionário público Vinícius Siqueira. Todos os presentes na colocação das faixas fazem parte do grupo “Chega de Impostos”.

De acordo com a pesquisa Datafolha, do último dia 7 de fevereiro, Dilma apresentou avaliação de 23% de ótimo/bom e 44% ruim/péssimo. Esta é a maior rejeição de um presidente da República desde Fernando Henrique Cardoso (PSDB) em dezembro de 1999 (46% de ruim/péssimo).

 

 


Link
Notícias Relacionadas »