21/07/2015 às 08h54min - Atualizada em 21/07/2015 às 08h54min

TJD-SP mantém punição de 180 dias para Dudu, mas Verdão vai recorrer

O Palmeiras e o atacante Dudu sofreram mais uma derrota no Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo, desta vez no julgamento do recurso da punição sofrida pelo atleta. Na noite desta segunda-feira, o TJD decidiu pela manutenção da pena de 180 dias ao jogador - além de ainda cumprir um jogo no Paulista de 2016. O clube, então, vai entrar com um novo apelo para livrá-lo do gancho, desta vez no Superior Tribunal de Justiça Desportiva. O departamento jurídico alviverde também pedirá um efeito suspensivo para o atleta, que não compareceu para acompanhar seu caso na sede da Federação Paulista de Futebol.

A suspensão foi aplicada por conta do empurrão dado pelo atacante no árbitro Guilherme Ceretta de Lima, durante a segunda partida da decisão do Campeonato Paulista, contra o Santos, em maio. O departamento jurídico do Palmeiras tentou desqualificar o caso de agressão para ato hostil, mas não obteve êxito.

No recurso apresentado, o Palmeiras incluiu um estudo biomecânico, inclusive com a velocidade da ação de Dudu, para alegar que o caso não se configurou uma agressão. “O Ceretta teve um deslocamento de 32 centímetros para o lado. Se o filho de vocês o empurrasse, seria superior a isso”, justificou o advogado do Palmeiras, André Sica, que ainda completou. “O empurrão foi de 3 km/h”.

O clube também citou os episódios dos corintianos Petros e Guerrero e do zagueiro Thiago Heleno para defender Dudu, por serem casos envolvendo arbitragem que não foram apenados com 180 dias. Além disso, o Palmeiras colocou no apelo outras súmulas como exemplos, nas quais as arbitragens foram mais contundentes ao relatar agressões. Porém, em cerca de 2h20 de julgamento, a maioria dos auditores entendeu que o caso foi sim uma agressão.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Defesa palmeirense não obteve sucesso no recurso de Dudu no TJD-SP

A partida contra o Santos foi realizada no dia 3 de maio, quando o atacante foi expulso aos 17 minutos do segundo tempo, junto com o santista Geuvânio. O palmeirense ficou revoltado com o cartão vermelho e empurrou o árbitro, que relatou o caso na súmula.

Assim, em julgamento em primeira instância realizado em 18 de maio, Dudu já havia sido punido pelo TJD-SP com 180 dias de suspensão. O Palmeiras, então, entrou com recurso e conseguiu um efeito suspensivo, que passou a valer apenas 15 dias depois, deixando o atleta fora dos jogos contra Goiás, Corinthians e ASA.

O atacante voltou a ficar liberado em 3 de junho, confirmando seu lugar entre os titulares e mostrando uma evolução em campo desde a chegada do técnico Marcelo Oliveira. Agora, o atleta só poderá atuar se o Palmeiras conseguir outro efeito suspensivo até a data do julgamento no STJD.


Link
Notícias Relacionadas »