07/03/2016 às 17h00min - Atualizada em 07/03/2016 às 17h00min

Internado há 14 dias, menino torturado não corre mais risco de perder visão

- Mídia Max

O menino de 4 anos torturado pelos pais, avó e primo adotivos, deve receber alta da Santa Casa, onde segue internado, nesta terça-feira (8). A criança teve que passar novamente por uma cirurgia na orelha esquerda para retirada de líquidos, mas passa bem.

Conforme a pediatra a Patrícia Otto, que cuidou da recuperação do menino, quando deu entrada na no hospital, ele apresentava nível de consciência baixo, queimaduras no rosto, infecções e a internação foi feita para tratamento clínico por meio de curativos e uso de antibiótico.

Também foi feita tomografia e radiografia e constatada a fratura no braço esquerdo, que calcificou sem tratamento médico e ficou torto. Além disso, o garoto deu entrada com inchaço no pênis e foi constatada síndrome de maus-tratos.

A criança também apresentava quadro de desnutrição e anemia, que já foi tratado. De acordo com o hospital, durante os 10 dias de tratamento o garoto já teve aumento de peso de 2,3 quilos.

Ele também apresentava úlcera no olho esquerdo, mas a recuperação foi positiva e ele não corre mais o risco de perder a visão.

O caso

O inquérito civil que investigou a tortura ao menino foi entregue pelo delegado responsável pelo caso, Paulo Sérgio Lauretto, da DEPCA (Delegacia Especializada em Proteção da Criança e Adolescente, ao MPE (Ministério Público Estadual) na última sexta-feira (4). Ao todo, O documento tem 700 páginas e é distribuído em dois volumes.

Os pais adotivos da criança, que na verdade são seus tios avós, estão presos. O homem e o primo adotivo estão detidos no Instituto Penal da Capital, separados da massa carcerária por motivos de segurança.

Já a mãe adotiva está presa em uma delegacia de Polícia Civil em Corumbá, a 419 quilômetros de Campo Grande. A avó adotiva está detida em uma delegacia de Polícia Civil da Capital. 


Link
Notícias Relacionadas »