04/06/2016 às 15h59min - Atualizada em 04/06/2016 às 15h59min

HE diz que se esforça para quitar débitos e adota medida

Fabiane Dorta - Dourados News
Ala do HE conhecida como Hospital do Câncer atende pacientes de toda a região (Foto: Dourados News/Arquivo)

O HE (Hospital Evangélico) informou na tarde deste sábado (04) que está adotando medidas para que o tratamento a pacientes com câncer tenha continuidade e realizando análise para quitar seus débitos. O CTCD (Centro de Tratamento de Câncer de Dourados) – terceirizado contratado para a prestação do serviço de oncologia ao Hospital – vai deixar o atendimento na ala do HE conhecida como Hospital do Câncer, a partir de segunda-feira (06).

Em nota, assinada pelo superintendente do Hospital Evangélico, Públio Vasconcelos, a Associação Beneficente Douradense – que mantém o Hospital -, esclarece que o HE é "referência para tratamento de câncer há mais de 17 anos, prestando serviços à população de Dourados e municípios adjacentes".

O superintendente ainda pontua que o CTCD é uma clínica contratada pelo HE para realizar tratamento ambulatorial dos pacientes que precisam de quimioterapia e radioterapia, sendo que o Hospital Evangélico faz todo o tratamento hospitalar (internações) "com cirurgias e apoio em UTIs, exames complementares de alta complexidade".

Sobre a dívida que possui com o CTCD, o superintendente esclarece que o Hospital "está realizando todas análises dos débitos pendentes e também esforços no sentido de propor e quitar no menor tempo possível os débitos alegados", relata a nota.

Ainda através do documento, o HE diz que está tomando as medidas necessárias com equipe própria de médicos, para que os tratamentos dos pacientes de oncologia "não sofram solução de continuidade, buscando oferecer a melhor qualidade nos atendimentos", tanto ambulatorial quanto nosocomial (internações).

A saída do CTCD

O Hospital Evangélico enviou no começo de maio uma notificação extrajudicial ao CTCD. Nesta, requeria que o Centro deixasse a ala do HE conhecida como Hospital do Câncer sob a acusação de que o prestador quebrou contrato de comodato e solicitava ainda uma indenização se a desocupação não fosse realizada em 30 dias, prazo que vence na segunda-feira, veja aqui.

O posicionamento do CTCD de imediato foi de protocolar junto à superintendência do HE, uma "contranotificação" em reposta, com a afirmação de que a solicitação era "ilegal", e que não havia quebrado o contrato. Esse ainda alegava uma dívida por parte do HE, que na época já estava em quase meio milhão relembre aqui.

No entanto, conforme noticiou o Dourados News na manhã deste sábado, o CTCD optou por acatar a reivindicação de posse da ala pelo Evangélico e deixará o local na segunda-feira. Relatou ainda que buscará outros locais para seguir com atendimento aos pacientes já cadastrados e no momento não receberá outras pessoas. A dívida do HE com o Centro, segundo os gestores, está em R$ 600 mil e ainda não foi sinalizado e eles pagamento por parte do Evangélico, relembre aqui.

Crise antiga

O desentendimento por falta de repasses do HE é relatado pelo CTCD há algum tempo. Em janeiro deste ano, por exemplo, as duas instituições travaram publicamente uma pequena "batalha" por conta dos atrasos.

Por várias vezes procedimentos deixaram de ser realizados na unidade com a justificativa de falta de repasses de verbas. No ano passado, inclusive, o centro pausou o atendimento por cinco dias relembre aqui.

Recentemente, dezenas de pacientes tiveram seus atendimentos suspensos por parte do Centro, o que gerou o estopim para o caso, relembre aqui.


Link
Notícias Relacionadas »