17/06/2016 às 17h00min - Atualizada em 17/06/2016 às 17h00min

Mãe de Tite abraça amarelinha e se emociona com filho na Seleção

Ainda resta a apresentação oficial, postergada em meio a negociações com a CBF, mas o acerto de Tite para ser técnico da Seleção, após a saída de Dunga, já é suficiente para levar às lágrimas a dona Ivone Bachi, em Ana Rech, na serra gaúcha. A mãe do treinador, inclusive, já veste a camisa amarela, que, garante, será inseparável a partir da oficialização.

Não tardou a se emocionar ao falar do filho, a quem chama carinhosamente de Ade. Na conversa, a matriarca ainda revelou que o filho evitava explicitar seu desejo de comandar a Seleção, quando era cotado para o lugar de Seleção, antes de Dunga, após a demissão de Felipão, em 2014. O sonho, porém, existia, e será concretizado agora. 

Ele vai dar um jeito, vai dar tudo certo. Sorte e que Deus abençoe ele junto do mundo inteiro 
Ivone Bachi, mãe de Tite

– Ele sempre diz: "mãe, não gosto que você me chame de Tite". Os parentes aqui sempre falam o Ade, o Ade, o Ade. Ele nunca me falou "eu gostaria de ir". Mas quando a gente dizia para ele "tu gostarias?", ele dizia: "quem não gosta? mas não é a hora agora". (Quando ele assumir) vou caminhar para lá e para cá e botar minha camisa amarela – promete dona Ivone.

Natural de Caxias do Sul, iniciou a carreira como volante no Caxias, em 1978. Começou como treinador no Guarany de Bagé em 1990 e, 10 anos depois, seria o último técnico a levar um clube do interior a se tornar campeão estadual. Em 2000, levou o Caxias ao título do Gauchão, tendo desbancado um Grêmio que tinha Ronaldinho como expoente técnico.

Dona Ivone Bachi se emociona com Tite na Seleção (Foto: Reprodução / RBS TV)

Dona Ivone Bachi se emociona com Tite na Seleção (Foto: Reprodução / RBS TV)

Dona Ivone Bachi se emociona com Tite na Seleção (Foto: Reprodução / RBS TV)

Desde então, circulou por clubes como Grêmio, Corinthians, Inter, Atlético-MG e Palmeiras. Pelo Timão, conquistou os maiores títulos, o da Libertadores e Mundial de clubes em 2012. Também foi bicampeão brasileiro pelo próprio Timão.

O objetivo para o treinador agora é ainda maior: classificou o Brasil a Copa do Mundo de 2018 e conquistar o hexa. Se depender da mãe, sobrará sorte e oração.

– Ele vai dar um jeito, vai dar tudo certo. Sorte e que Deus abençoe ele junto do mundo inteiro – se emociona.  

Tite se reuniu com a CBF para começar a discutir sua contratação para comandar a Seleção na terça-feira, data da saída de Dunga. Após aceitar o convite para assumir o cargo, o treinador negocia com a cúpula da entidade detalhes do contrato e da rotina de trabalho.


Link
Notícias Relacionadas »