27/06/2016 às 15h00min - Atualizada em 27/06/2016 às 15h00min

Itália controla Espanha, se vinga de goleada e pega Alemanha nas quartas

A Itália se vingou da goleada por 4 a 0 sofrida na final da última Eurocopa e eliminou a Espanha da competição nesta segunda-feira (27), em duelo válido pelas oitavas de final. Chiellini e Pellè fizeram os gols da vitória por 2 a 0, que mandou precocemente para casa os atuais bicampeões europeus.

Com um primeiro tempo espetacular, os italianos foram bem superiores e poderiam ter ganhado de mais, mas pararam em ótima atuação de De Gea. O goleiro espanhol, porém, deu rebote em uma cobrança de falta no lance do primeiro gol. No fim, Pellè sacramentou a classificação.

A seleção italiana agora avança para enfrentar a Alemanha pelas quartas de final. O jogo entre as tetracampeãs mundiais acontece no próximo sábado (2), em Bordeaux.

Quem esperava a Espanha controlando a partida e a Itália só se defendendo se enganou. O 3-5-2 dos italianos foi perfeito para anular o jogo de posse de bola espanhol: os alas bloquearam os laterais, De Rossi ficou na sobra no espaço à frente da área, e os três zagueiros anularam Morata e quem mais tentasse entrar. Com o ataque espanhol totalmente contido, a Itália criou muitas chances em contra-ataques bem articulados e bolas levantadas na área. No segundo tempo, mesmo recuando, a Itália seguiu mais perigosa. A vantagem de 2 a 0 foi pouca para o tamanho da superioridade.

O domínio da Itália só não se traduziu em mais gols porque De Gea fez defesas espetaculares. No primeiro tempo, ele salvou uma cabeçada forte de Pellè, depois um ótimo chute de Giaccherini. Na segunda etapa, parou finalização cara a cara de Éder após contra-ataque. Ele só não conseguiu segurar a pancada de Éder na cobrança de falta aos 32min, e Chiellini chegou antes no rebote para balançar a rede. Alguns viram falha do espanhol, enquanto outros consideraram que De Gea já fez muito em conseguir defender o primeiro chute.

DEL BOSQUE NÃO MUDA PLANO DA ESPANHA
A Espanha teve dificuldades com o sistema italiano durante toda a partida. Nem manter a posse de bola, sua principal característica, o time conseguiu bem: graças ao esquema com três zagueiros e dois alas, a Itália sempre tinha um jogador sobrando livre na hora de sair jogando. Mas Vicente del Bosque não mudou o desenho nem o estilo do time com as entradas de Aduriz e Lucas Vázquez. Depois, Aduriz se machucou e Del Bosque lançou Pedro como centroavante. A Espanha seguiu até o fim no 4-1-4-1, tentando jogar com passes curtos e parando na organização da marcação azul. Os jogadores até arriscaram alguns chutes de longe no fim, mas pararam em Buffon.


Link
Notícias Relacionadas »