15/12/2018 às 09h21min - Atualizada em 15/12/2018 às 09h21min

“Meu mandato será voltado para atender o Estado”, diz Londres Machado ao ser diplomado para o seu 12° mandato na Assembleia

Londres diz que não quer cargo na mesa e que vota com "G10"

- Campo Grande News
Recebo meu 12º diploma como deputado Estadual, sabendo que ele não é só meu. É de todos que levaram meu nome, levantaram minha bandeira é a força do companheiro.

O deputado estadual eleito, Londres Machado (PSD), que vai seguir para o 12° mandato, disse que em relação a eleição interna na Assembleia, vai votar junto com o “G10”, grupo político no qual se aliou nesta semana. Ele antecipou que não pretende fazer parte da mesa diretora, mas vai seguir o bloco na disputa pelos cargos.

“Vou seguir a decisão do grupo no qual estou fazendo parte, o que eles decidirem irei apoiar, para a eleição da mesa diretora, no qual não pretendo participar de nenhum cargo”, disse o parlamentar, após sua diplomação, no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo.

O grupo político tem em sua maioria deputados novatos, com a pretensão de indicar um integrante para 1° secretaria, tendo como principal rival ao cargo, o deputado Zé Teixeira (DEM). Londres Machado tinha sido inclusive citado pelo democrata como um dos apoiadores, no entanto o parlamentar disse que vai seguir o bloco, no qual faz parte.

O chamado “G10” é formado pelos deputados: Herculano Borges (SD), Lucas de Lima (SD), Evander Vendramini (PP), Gerson Claro (PP), Carlos Alberto David dos Santos (PSL), Neno Razuk (PTB), João Henrique Catan (PR), Renan Contar (PSL), Londres Machado (PSD) e Antônio Vaz (PRB).

Mandato – Londres disse que vai seguir na base do governo e que seu mandato será voltado para atender o Estado, para buscar melhorias em diferentes setores e regiões. “Vou realizar um trabalho sério como fiz nos outros mandatos, o Brasil está exigindo isto".

Também ponderou que segue o trabalho desenvolvido no mandato anterior, pela deputada Grazielle Machado (PSD), sua filha e que tem muito “orgulho” de em toda sua carreira política “nunca ter sido investigado” ou passado porque problemas com a Justiça.


Link
Notícias Relacionadas »