27/05/2020 às 07h10min - Atualizada em 27/05/2020 às 07h10min

Servidor público federal é preso com 300 kg de maconha em carro oficial

Funcionário público prestava serviço ao órgão de atenção indígena há quase 30 anos

Um servidor público federal lotado na Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena), pertencente a Funai (Fundação Nacional do Índio), foi preso com 300 quilos de maconha em um veículo oficial, no caso uma caminhonete L-200 Triton de uso exclusivo. De acordo com a polícia, o funcionário público prestava serviço ao órgão de atenção indígena há quase 30 anos.

Servidor público federal é preso com 300 kg de maconha em carro oficial

Servidor público federal é preso com 300 kg de maconha em carro oficial

Veículo oficial utilizado no transporte da droga (Divulgação, polícia)

A prisão e apreensão foram feitas pela Deco (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado) no distrito de Anhanduí, na BR-163 em Campo Grande, na noite desta terça-feira (26).

De acordo com a Polícia Civil, a prisão do servidor de 54 anos aconteceu após levantamentos de denúncia de tráfico de grande quantidade de entorpecente em veículo oficial. A droga estava em isopores na carroceria do veículo, coberto por lona.

Ainda segundo a Deco, o funcionário público tinha como rotina, a designação para atendimento de saúde das comunidades indígenas na região de Dourados, onde ficava por aproximadamente uma semana.

Com isso, durante as viagens ao sul do Estado, ele, durante o período vespertino, deslocava-se com o veículo oficial até a fronteira entre Brasil e Paraguai, nas cidades de Ponta Porã e a vizinha paraguaia Pedro Juan Caballero.

Servidor público federal é preso com 300 kg de maconha em carro oficial

Servidor público federal é preso com 300 kg de maconha em carro oficial

Droga dentro de isopores (Divulgação, polícia)

Em Pedro Juan Caballero, ele carregava o veículo com a droga e levava até Campo Grande, descarregando em local definido e, de imediato, retornava a estrada novamente até Dourados, onde mantinha-se hospedado durante sua missão semanal, retomando seus afazeres sem chamar a atenção.

Ainda segundo a polícia, o modus operandi que mantinha, segundo apurado, era semanal, prática mantida já de longa data e quem vinha sendo apurada pela equipe de investigação.

A polícia afirma que servidor praticava o crime aproveitando-se da facilidade de transitar pelas rodovias sem abordagens e sem chamar atenção pelo fato de utilizar veículo oficial. O servidor, a droga e o veículo foram encaminhados à Superintendência da Polícia Federal em Campo Grande.

Link
Notícias Relacionadas »