30/10/2022 às 17h19min - Atualizada em 30/10/2022 às 17h19min

Eduardo Riedel é o novo governador de MS e Reinaldo Azambuja celebra eleição do sucessor

Aos 53 anos de idade, o biólogo e empresário rural Eduardo Corrêa Riedel (PSDB) é eleito o novo governador de Mato Grosso do Sul. Ex-secretário estadual de Governo e de Infraestrutura por sete anos da gestão tucana, ele vai dar continuidade à gestão do PSDB e marca o êxito do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), o primeiro na história sul-mato-grossense a emplacar o sucessor.
Riedel venceu o candidato de oposição e bolsonarista raiz, o deputado estadual Renan Barbosa Contar, o Capitão Contar (PRTB). Com 82% dos votos apurados, tucano tinha 652.670votos e 55,96% do total. O oposicionista estava com 513.636 votos (44,04%).
Natural do Rio de Janeiro, Eduardo Riedel assumiu a gestão das propriedades da família em Maracaju, trajetória semelhante a do seu padrinho político. Ele é formado em Biologia pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), com pós graduação em gestão empresarial pela FGV e Gestão Estratégia pelo Instituto Francês Insead.
Riedel foi presidente da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul) de 2006 a 2012. Ele foi o principal articulador político da gestão de Reinaldo Azambuja ao comandar a Secretaria Estadual de Governo e Gestão Estratégica. Por pouco mais de um ano, ele também assumiu a Secretaria Estadual de Infraestrutura.
O PSDB conseguiu emplacar o sucessor após mudar a rota do Governo nos últimos meses. Após seis anos de austeridade, com corte em programas sociais, aumento de impostos, congelamento de salários dos servidores públicos estaduais por cinco dos oito anos e até redução de 32,5% no valor pago aos professores convocados, Reinaldo lançou um pacote de bondades.
A mudança começou com a transferência de Riedel da Segov para a pasta de Infraestrutura. Além de comandar o pacote de obras, ele assumiu a negociação com os servidores e as entrevistas do Prosseguir, programa destinado para as medidas de combate à pandemia da covid-19.
O Governo substituiu o programa Vale Renda pelo Mais Social, que quase quintuplicou o número de famílias beneficiados com uma bolsa mensal de R$ 300. O número de benefícios saltou de 25 mil para 100 mil. O valor do benefício também subiu, já que o Vale Renda pagava R$ 180.
A gestão tucana também lançou os programas CNH Social, que pagou a carteira de motorista para 5 mil pessoas, e o Luz Zero, que levou o Governo a pagar a conta de luz por 14 meses para 152 mil famílias.
Os servidores públicos estaduais tiveram reajuste linear de 10% em janeiro deste ano. Reinaldo anunciou ainda a redução do ICMS sobre a gasolina de 30% para 17%, da telefonia de 29% para 19% e de energia de 25% para 17%. Também houve redução no IPVA de 3,5% para 3%.
Denunciado por corrupção passiva, chefiar organização criminosa e lavagem de dinheiro no STJ em outubro de 2020, Reinaldo não participou ativamente da campanha de Riedel. Estrategicamente, o governador nunca realizou eventos ao lado do ex-secretário, mas sempre o defendeu em entrevistas e nos eventos.
Estreante na política, Riedel conseguiu superar o ex-governador André Puccineelli (MDB), prefeito da Capital e governador do Estado por dois mandatos, o ex-prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), e a deputada federal Rose Modesto, que havia deixado o PSDB para disputar pelo União Brasil.
Ele contou com uma mega estrutura partidária. No segundo turno, o candidato teve o apoio do PT, que passou a atuar na sua campanha de forma efusiva por considera-lo mais favorável à democracia do que Capitão Contar.

Link
Notícias Relacionadas »
Fátima em Dia Publicidade 1200x90