20/04/2016 às 16h57min - Atualizada em 20/04/2016 às 16h57min

Agentes penitenciários passam mal e suspeitam de envenenamento na Máxima

Caso será investigado

Na manhã desta quarta-feira (20), entre 9 e 10 horas, cinco agentes penitenciários foram socorridos no Presídio de Segurança Máxima, localizado no Jardim Noroeste, a leste da Capital. Eles passaram mal após tomarem café e há suspeita de ato criminoso.

Conforme informações do Sinsap (Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária de MS), a princípio cinco agentes, que atuam no Pavilhão II, passaram mal após tomarem café. Há suspeita de que detentos, que trabalham e têm acesso à cozinha, tenham colocado algo no café. O presidente do sindicato, André Luiz Garcia Santiago, foi ao presídio e levou também água para os agentes, para evitar que eles consumam qualquer produto com que os presos possam ter tido contato.

Ainda de acordo com o sindicato, Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) socorreu as vítimas, que foram levadas para o El Kadri e Santa Casa. Os agentes passaram mal, tiveram vômito, diarreia e o sindicato foi informado pouco após o ocorrido. Os presos trabalham no presídio para diminuírem a pena, por isso alguns acabam tendo contato com a cozinha, enfermaria, entre outros locais.

Ameaças

Há denúncia de que os agentes penitenciários que atuam na Máxima recebem constantes ameaças por parte dos presos. Após o episódio dos ônibus queimados na Capital, em que foi confirmado que a ordem partiu de um detento, as ameaças teriam piorado. “Pelo que percebemos, isso já é uma ação contra os agentes”, afirma o sindicato.


Link
Notícias Relacionadas »