16/06/2016 às 08h39min - Atualizada em 16/06/2016 às 08h39min

Terror na fronteira: Executado com 16 tiros, Rafaat teve loja incendiada na madrugada

- Dourados News

Horas após ser executado com 16 tiros de fuzil, o narcotraficante e empresário Jorge Rafaat Taumani teve a loja de pneus a qual era proprietário, incendiada na região central de Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia que faz fronteira com o Brasil através de Ponta Porã.

O fato ocorreu na madrugada desta quinta-feira (16) e a suspeita é que os criminosos tenham utilizado coquetel molotov. Rafaat foi atacado por volta das 18h30 de ontem (15), ao sair de seu escritório situado na rua Teniente Herrero.

Segundo o ABC Color, o traficante morreu no local com tiros de fuzil que atravessaram o seu corpo. Em entrevista ao periódico, o médico legista Marcos Prieto, que atendeu a ocorrência disse acreditar que ele não teve tempo de tentar se defender.

"Sua morte foi instantânea, não há evidência que ele tentou reagir ou sair do veículo, nem se esquivar. Ele estava sentado, morreu olhando para frente, sem nenhuma ação para se defender", contou.

Condenado na Justiça brasileira por tráfico internacional de drogas, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, Rafaat foi abordado por grupo de pessoas que o cercaram e efetuaram vários disparos de fuzil e metralhadora contra o seu carro.

CASO

Tratado pela imprensa do país vizinho com o traficante mais poderoso do Paraguai, Jorge Rafaat Taumani caiu numa emboscada no Centro de Pedro Juan Caballero. Os disparos que atingiram o seu corpo foram de fuzis antiaéreos que fizeram com que a caminhonete blindada utilizada por ele não suportasse os tiros.

De acordo com o ABC Color, o crime é atribuído a outro traficante, Jarvis Chimenes Pavão, que teria orquestrada a ação junto com integrantes da facção criminosa brasileira PCC (Primeiro Comando da Capital).

Ainda conforme o periódico, sete pessoas foram presas, algumas delas feridas após embates por conta do assassinato de Rafaat.


Link
Notícias Relacionadas »