30/07/2019 às 09h43min - Atualizada em 30/07/2019 às 09h43min

Sai Carlinhos, entra Iza: Tudo sobre a 8ª temporada do The Voice Brasil

"The Voice Brasil" estreia nesta terça (30) com Iza como técnica

O botão que faz a cadeira virar, a frase "eu quero você" se acender e o coração de milhares de brasileiros disparar vai entrar em ação novamente, nesta terça-feira (30), na Globo. A oitava edição do "The Voice Brasil" chega à grade da emissora cheia de mudanças atraentes, nas terças e quintas-feiras, depois da novela "A Dona do Pedaço".

A principal novidade é a atual formação do time de técnicos. Neste ano, Iza substitui Carlinhos Brown e completa o quarteto ao lado de Ivete Sangalo, Lulu Santos e Michel Teló.

Publicitária por formação, a carioca de 28 anos tornou-se cantora estimulada pelo programa. A decisão que mudaria a vida de Iza surgiu quando ela estava assistindo à fase das "Audições às cegas" em um dos anos anteriores. Ao receber o convite para integrar a nova temporada, Iza demorou a acreditar, mas conta que se integrou rápido com a equipe.

"Eu já sabia que ia gostar, me divertir muito, e não está sendo diferente. Fui muito bem recebida, acabei de chegar mas já estou me sentindo em casa, acolhida, parte da família", relata em entrevista ao Verso.

Jeniffer Nascimento e Iza integram o time da temporada 2019 do reality show musical da Globo ao lado de Teló, Ivete, Leifert e Lulu FOTO: GLOBO/ PAULO BELOTE

A dona do hit "Pesadão" conta que sempre admirou e acompanhou as carreiras dos colegas de palco e ressalta a proteção que tem sentido por parte dos outros técnicos.

"A Ivete é mãe de todos nós, tem esse lado maternal de tomar conta da gente, perguntar se eu estou bem. A gente troca ideia, conversa, e tem sido muito bacana estar do lado dela. O Lulu é um grande mestre, um poeta. Além de todas as qualidades musicais que ele tem, é muito bonito ver como ele é como pessoa. Tenho me sentido muito sortuda de poder conhecer ele de perto porque ele também é um gentleman comigo, muito cuidadoso e muito parceiro. A gente troca muito quando está ouvindo os candidatos, sempre nos olhamos, e isso tem sido muito rico", expõe.

Iza não economiza elogios também para Michel Teló, grande campeão da história do reality no Brasil, com vitória nas últimas quatro temporadas. "Teló é a coisa mais fofa que existe, não dá nem pra explicar o quão generoso ele é. Já é um excelente multi-instrumentista e um cantor incrível, e ainda é uma pessoa maravilhosa, que está sempre cuidando de mim, me dando dicas. Eu gosto da forma como ele escolhe os candidatos, como pensa. Trocamos muito durante as audições", exalta.

Grande responsabilidade

Apesar de novata na atração, Iza pondera o compromisso do reality show com a visibilidade para novas vozes e ressalta a relevância do "The Voice Brasil" como uma ampla vitrine e celeiro de novos talentos.

"É um programa de muita importância para a música brasileira e para a cultura do País. E, sabendo disso, eu sei da responsabilidade que é quando se escolhe alguém para fazer parte do time de técnicos. Por isso eu fico muito feliz e lisonjeada com essa oportunidade. É um programa que muda vidas. E não só a dos participantes, mas com certeza a minha vida como profissional também, a partir dessa experiência", evidencia ao ser questionada sobre a sensação de estar do outro lado do palco.

Iza transparece ainda que não pretende traçar nenhuma estratégia para transformar o cantor do seu time no grande vencedor da edição. "O principal é seguir meu coração. Eu acho que quando a gente escolhe a voz que nos emociona, não tem como errar".

Mais inovações

Além de Iza, a oitava temporada do "The Voice Brasil" terá a presença também de Jeniffer Nascimento. Recém-saída da novela "Verão 90", a atriz e cantora fará a cobertura dos bastidores do programa, dando uma assistência para Tiago Leifert.

Outra mudança é que o botão de bloqueio estará disponível desde a primeira fase do programa, nas "Audições às cegas", quando os candidatos se apresentam e são avaliados apenas pela voz. Ou seja, os técnicos podem bloquear uns aos outros e dificultar as escolhas do colega ao lado desde o início. Nesta etapa, se mais de um técnico virar, o participante é quem escolhe com quem quer trabalhar. No total, serão 64 vozes aprovadas, 16 em cada time.

 

FOTO: GLOBO/ RAQUEL CUNHA

Com as equipes formadas, os técnicos dividem os times em duplas para duelar cantando a mesma música nas "Batalhas". O artifício "Peguei" poderá ser usado neste momento para que os técnicos possam resgatar os eliminados de cada performance.

Na fase seguinte, a nova temporada traz a volta da "Rodada de fogo", um sucesso presente nos primeiros anos do programa. Nela, os integrantes dos times se apresentam em duplas ou trios definidos pelos técnicos. Após a performance, uma voz de cada time é excluída do programa.

No "Shows ao vivo" o público passa a ajudar na decisão e, diante de uma apresentação em trio, salva uma voz por meio de votação e dois participantes são eliminados.

A grande final será disputada por um cantor de cada time e decidida unicamente pelos telespectadores. O vencedor ganha R$ 500 mil e assina contrato com a Universal Music.

Link
Notícias Relacionadas »