27/04/2020 às 12h43min - Atualizada em 27/04/2020 às 12h43min

Governo confirma antecipação de férias das escolas estaduais a partir do dia 4 em MS

Estado também recomenda que a rede particular não retome as aulas presenciais

Campo Grande News
(Foto: Henrique Kawaminami)

O governo estadual confirmou na manhã desta segunda-feira que vai antecipar as férias das escolas estaduais, para evitar a aglomeração de estudantes durante a pandemia do coronavírus. Com isto, o recesso escolar que ocorreria de 17 a 31 de julho, vai começar dia 4 de maio, seguindo até 18 do mesmo mês.

Durante este período será avaliado se as aulas presenciais vão voltar após esta data, ou continuar on line. "Estamos com mais de 93% dos alunos que estão usando nossas ferramentas tecnologias, Quem não tem, estamos levando até esses alunos. Por isso, vamos usar o recesso para aprimorar ainda mais essas ferramentas", o secretário estadual de Governo, Eduardo Riedel.

A informação foi divulgada hoje (27), durante live no Facebook. Ele explicou que a medida será publicada amanhã (28), no Diário Oficial do Estado. Para justificar a antecipação lembrou que as crianças podem ser "vetores" do coronavírus.

Ele lembrou que o decreto que paralisava as aulas terminaria justamente no dia 4 de maio, por isso é a partir desta data que começam as férias do meio do ano. Riedel ainda explicou que cabe as escolas particulares definirem suas regras e datas, no entanto alertou que a recomendação do Estado é quer todas continuem sem as aulas presenciais. "Quem detêm o poder de fazer isso são as próprias escolas. Sabemos que cabem a elas a decisão, mas o Estado está recomendando", reforçou Riedel.

Na rede municipal, a prefeitura de Campo Grande já anunciou também que antecipará as férias e as aulas só retornam no dia 21 de maio.

Se trata de mais uma medida divulgada pelo governo estadual, que busca reduzir o número de contágio de coronavírus em Mato Grosso do Sul. Continua o alerta para que as cidades aumentem o índice de isolamento social, sendo importante para segurar a curva de casos da doença no Estado.

Link
Notícias Relacionadas »